Blog do Dr Jairo Bouer
 

13/03/2013

Desprezar pode doer tanto quanto ser desprezado

Experimentar o ostracismo – ser ignorado ou excluído – magoa. Mas deixar outra pessoa no ostracismo pode magoar tanto quanto. Uma pesquisa feita pela Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, fez com que voluntários participassem de um jogo de computador simples, que simulava jogar uma bola para os outros jogadores. Os voluntários achavam que os outros jogadores eram pessoas que estavam em outras salas, quando na verdade eram jogadores virtuais controlados por um programa de computador.

No primeiro experimento, os computadores eram programados para deixar um certo jogador no ostracismo, evitando mandar a bola para ele. No segundo grupo a instrução era jogar a bola igualitariamente para todos. E no grupo neutro a bola era jogada aleatoriamente. As pessoas do primeiro grupo relataram o pior humor depois do jogo, o que foi relacionado à baixa sensação de independência e falta de conexão com os outros.

            No segundo experimento, as pessoas de verdade eram as que menos recebiam a bola, sendo deixadas no ostracismo. Apesar de também terem prejuízos no humor, os participantes desse grupo relataram sensações diferentes – disseram sentir mais raiva, enquanto pessoas do primeiro grupo disseram ter mais vergonha, culpa e angústia. Apesar de não verem os outros participantes (que na verdade nem existiam), os voluntários apresentaram reações emocionais fortes, o que sugere que as pessoas se afligem ao causar mal aos outros, mesmo sendo anônimos ou desconhecidos.

Para ler mais sobre a pesquisa acesse http://www.psychologicalscience.org/index.php/news/releases/hurting-someone-else-can-hurt-you-just-as-much.html.

Escrito por Jairo Bouer as 10h52

O espaço de comentários do blog do Dr. Jairo Bouer pode ser moderado. Regras de uso

"Viagra natural", pero no mucho

Quantos anúncios você já recebeu no seu email vendendo “Viagra natural”? Para alguns, parece uma proposta tentadora – um produto que aumenta sua potência sexual e não traz danos. Só que pesquisadores da Universidade Arcadia, nos Estados Unidos, resolveram checar o que realmente havia nesses produtos.

Foram avaliados 10 “medicamentos naturais” para disfunção erétil mais populares. E, em sete deles, foi detectado sildenafil, a droga ativa no Viagra de verdade. Pessoas que tomam alguns remédios para angina e pressão alta não podem tomar sildenafil – nem que seja transvestido de “Viagra natural”.

Para ler mais sobre a pesquisa acesse http://www.newscientist.com/article/mg21729065.400-herbal-viagra-actually-contains-the-real-thing.html

Escrito por Jairo Bouer as 10h50

O espaço de comentários do blog do Dr. Jairo Bouer pode ser moderado. Regras de uso

 

Busca

 

O Autor

 

Dr. Jairo Bouer

Jairo Bouer é médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, com residência em psiquiatria no Instituto de Psiquiatria da USP. A partir do seu trabalho no Projeto Sexualidade do Hospital das Clínicas da USP (Prosex), passou a focar seu trabalho no estudo da sexualidade humana. Hoje é referência no Brasil, para o grande público, quando o assunto é saúde e comportamento jovem, atendendo a dúvidas através de diferentes meios de comunicação.

Sobre o blog

 

Neste espaço, Jairo Bouer publica informações atualizadas e tira dúvidas sobre saúde, sexo e comportamento.

Histórico

 



 

© 1996-2010 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.